A transição de funcionário a empreendedor

A transição de funcionário a empreendedor

A transição de funcionário a empreendedor

É comum ouvir no momento atual do Brasil pessoas que falam que estão transição de carreira. Algumas estão mudando de empregadores enquanto outras estão buscando alternativas como o empreendedorismo.

Um dos pontos que pode direcionar pessoas para empreender é a taxa de desemprego que segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) realizada pelo IBGE ficou em 13,3% considerado o trimestre encerrado em maio de 2018.

Em contrapartida a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2017 indica que houve um pequeno aumento em 2017 na relação a empreendedores por oportunidade X por necessidade, sendo para cada empreendedor inicial por necessidade existe 1,5 empreendedores por oportunidade. A estimativa fica em mais de 27 milhões de empreendedores iniciais, sendo um pouco mais de 16 milhões de empreendedores por oportunidade contra quase 11 milhões por necessidade.

Outro item que chama atenção na pesquisa é com relação à quantidade de empregos gerados por empreendedores. No caso dos empreendedores iniciais (que começaram recentemente seus negócios) o percentual do item “nenhum empregado” ficou em 58,3%, ao passo que para os empreendedores estabelecidos (negócios estabelecidos há mais tempo) o índice foi de 68,4%. Ao analisar esta situação uma possível leitura é que muitos destes empreendedores que não tem nenhum empregado estão em transição de carreira.

A transição de funcionário a empreendedor

A transição de funcionário a empreendedor

Geralmente as competências que já possuímos como profissionais nos acompanham na nossa trajetória de carreira, mas para empreender além de habilidades que contribuíram para um bom desempenho enquanto funcionário é necessário desenvolver outras capacidades. Não é tão incomum encontrar executivos(as) que ao iniciarem um empreendimento não alcançaram o mesmo sucesso enquanto funcionários.

A primeira questão é a pessoa analisar se tem o perfil para empreender. Importante também identificar o quanto está disposta a correr riscos e como lidará com a renda (considerar eventuais meses de sazonalidade de cada negócio). Conhecer onde atuará e fazer o estudo do mercado para identificar oportunidades (empreendedorismo por oportunidade) é fator crucial para pessoas que consideram iniciar no empreendedorismo. E, por fim, refletir sobre como conseguirá clientes (marketing e vendas) e como fará a gestão financeira do seu negócio. Está pensando em iniciar um negócio? Desenvolva competências de empreendedorismo e conheça mais sobre negócios.

Fonte: Estadão