Com alta acima da média franquias avançam no interior de Minas Gerais

Com alta acima da média franquias avançam no interior de Minas Gerais

Com alta acima da média franquias avançam no interior de Minas Gerais

Em um ano, o número de franquias no Brasil subiu 2,5%. Em Minas Gerais, esse crescimento foi de 10%, ou seja, quatro vezes maior. A cada cem franquias abertas no país, praticamente 20 foram em cidades mineiras. Por trás desse aumento tão acima da média nacional está um crescente processo de interiorização, com uma espécie de migração de empreendedores que, sem tantas oportunidades de emprego na capital, buscam alternativas em cidades menores.

Em 2017, enquanto o número de franquias em Belo Horizonte cresceu 7,7%, fora da capital o aumento foi de 11%. Hoje, o Estado tem 7.319 unidades, e 73% estão no interior.

“A crise acabou se transformando em uma ótima oportunidade para o Estado, pois muitos executivos aplicaram sua rescisão em franquias e, em busca de qualidade de vida e custos mais acessíveis, as melhores opções de investimento estavam no interior”, afirma a diretora regional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) em Minas Gerais, Danyelle Van Straten.

Nevison Sousa Santos, 44, ainda trabalhava em uma multinacional em Belo Horizonte quando resolveu investir em uma franquia da escola de inglês Up Time. Tinha que ser em uma cidade onde aquele serviço seria um diferencial e, ao mesmo tempo, fosse perto o suficiente da família. Escolheu Itaúna, a 80 km da capital. Primeiro, ele foi sozinho. Depois, a esposa e sócia Érica se mudou de vez e, hoje, ajuda a fazer o negócio a crescer. “A escolha de empreender no interior tinha como objetivo levar um curso de inglês em tempo reduzido e horários mais flexíveis, em um modelo diferente do que já tinha no mercado.

Mas também tem a ver com a qualidade de vida, porque a gente percorre menores distâncias, por exemplo”, conta. Hoje, ele emprega 14 pessoas em Itaúna, região Centro-Oeste de Minas. O negócio deu tão certo que ele já está planejando abrir outras três unidades até 2021, todas fora da capital.

Depois de morar durante seis anos em Belo Horizonte, Josiane Cristina Fialho, 29, escolheu Ubá, na Zona da Mata mineira, para abrir um centro de beleza da rede Socila, em sociedade com a irmã Joiciane Fialho. “Eu já tinha vontade de voltar para a cidade por causa da minha família. Além disso, em Belo Horizonte esse mercado já está saturado e seria só mais um Socila. Aqui em Ubá é o Socila. Não tenho concorrência direta com a modalidade”, explica a franqueada, que gera 15 empregos.

A engenheira Carina Ferreira mora em Contagem. Quando pensou em diversificar sua área de atuação, ela não pensou em se mudar. Continua morando em Contagem, na região metropolitana, mas, pelo mesmo motivo de Josiane, escolheu apostar no interior e abriu um franquia da rede Socila em Igarapé.

“Quando estudei o mercado de beleza, que é onde eu queria atuar, percebi que, se eu abrisse em Belo Horizonte, seria apenas mais uma franquia entre tantas outras. No interior, nem sempre há uma grande oferta, o que leva as pessoas a se deslocarem significativamente em busca de serviços específicos e de qualidade”, afirma Carina. “Meu objetivo é levar algo completamente novo para a cidade. Sem falar que o interior se caracteriza por ter consumidores fiéis e que estão em constante busca por novidades”, ressalta.

Negócio está em 42% dos municípios

O Brasil tem 5.570 municípios. Em 2.321 deles, existe pelo menos uma franquia, uma presença que, só no último ano, subiu de 40% para 42% das cidades brasileiras. Nesse avanço, o interior abocanha uma fatia cada vez maior. E as grandes redes estão atentas a essa demanda crescente.

A Cacau Show, que já está presente em 20% dos municípios do Brasil, possui 230 operações em Minas Gerais. No ano passado, das 11 lojas abertas no Estado, oito foram no interior. “Sem dúvidas, temos clareza de que ainda existem muitos mercados a serem explorados. Um dos meios de continuar esse crescimento é o novo modelo de loja que lançamos recentemente, a loja Smart, com investimento otimizado e perfeitamente adequada para atendimento a essas localidades”, afirma o gerente de expansão da Cacau Show, Arlan Roque.

A diretora da ABF em Minas, Danyelle Van Straten, é dona da rede Depyl Action, que tem 105 lojas pelo país. “No ano passado, abrimos nove unidades. Dessas, sete foram no interior”, afirma a empresária.

Minas X Brasil

Onde estão:
Minas Gerais tem 7.319 franquias: 73% estão no interior, e 27%, na capital
O Brasil tem 146.130 franquias: 58% estão no interior, e 42% estão em capitais

Crescimento:
Em Minas Gerais, o total de unidades no interior cresceu 11% em 2017
No Brasil, o total de unidades em cidades do interior teve alta de 9%

Força do interior:
Em Minas, o total de franquias cresceu 7,4% em 2017. Só na capital, a alta foi de 7,7%. Já no interior, o crescimento foi de 11,4%

Fonte: ABF

Destaque para saúde e beleza

Em Minas Gerais, o ramo de beleza, bem-estar e saúde está entre os que mais cresceram. O faturamento aumentou 14,8% no ano passado. “Acima da média nacional, que foi de 12,1%”, destaca a diretora regional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) em Minas, Danyelle Van Straten. Outros segmentos de destaque foram os de serviços automotivos, comunicação e informática e alimentação.

Fonte: O Tempo

Com alta acima da média franquias avançam no interior de Minas Gerais
5 (100%) 3 votos