Acompanhar o desempenho dos itens de uma loja é essencial para o negócio

Como a pizza de aliche pode te ensinar sobre vendas

Como a pizza de aliche pode te ensinar sobre vendas

Você sabe quais itens vendem mais na sua loja? E quais têm a melhor margem de lucro? Em uma pizzaria, por exemplo, existem as mais pedidas, como calabresa ou muçarela, que apesar do baixo lucro, tem alto volume de vendas, e as que vão te fazer perder dinheiro, como a de aliche. “Sai muito pouco e não tem alta porcentagem de lucros”, diz Hugo Venturelli, consultor de finanças do Sebrae-SP, durante curso de capacitação na Feira do Empreendedor SP 2016.

Independente do seu negócio, saber a margem de lucro e o volume de vendas é essencial para aumentar as vendas. “Monitorar o desempenho dos produtos de uma loja é fundamental para o sucesso do negócio”, afirma o consultor.

Segundo o Venturelli, existem quatro categorias de produtos que podem ser usadas para classificar qualquer item de uma loja. Para um planejamento bem-feito, é preciso que o empreendedor identifique a categoria em que cada item se enquadra, “pois fazer isso pode te ajudar a ganhar mais dinheiro e ter menos prejuízo”, diz.

1. Itens com baixa venda e baixa margem de lucro

Esse é o pior tipo de produto que uma loja pode ter. Eles não são itens nobres e, portanto, não possuem valor agregado, e não são populares para venderem bastante. É comum que o empreendedor tenha prejuízo por ter esse produto em estoque e, segundo Venturelli, o melhor a fazer, normalmente, é se livrar desse item o quanto antes.

“Esses produtos podem, inclusive, ser concorrentes na própria empresa. Em uma pizzaria, por exemplo, uma pizza de aliche, que sai muito pouco e não tem alta porcentagem de lucros, pode ser comprada no lugar de uma de calabresa, que sai bastante e tem baixo lucro. Isso faz com que o empreendedor precise manter um estoque do peixe, o que, muitas vezes, acaba dando prejuízo. Por isso, é preciso trocar a categoria do produto. Nesse exemplo, as opção são deixar a pizza mais nobre, com ingredientes melhores, ou então tirá-la de vez do cardápio”, diz.

2. Itens com alta venda e alta margem de lucro

Esses produtos são o sonho de qualquer lojista. Normalmente, são itens simples e populares que estão na moda. Embora seja tentador, é preciso tomar cuidado para não investir muito neles, pois esses produtos têm uma vida passageira. “É como aquela onda das paletas mexicanas. Quem investiu dinheiro nesse negócio está com problemas hoje”, diz Venturelli.

3. Itens com alta venda e baixa margem de lucro

É o produto que atrai o cliente até o negócio. Por ser mais simples e barato, deve ficar posicionado em lugares de difícil acesso. Assim, o cliente, que irá comprar o produto de qualquer jeito, é impressionado por outros itens até chegar ao item barato. Alguns exemplos são: arroz, pneus, chinelos e camisetas sem estampas. “Um pneu tem margem de lucro de 3% normalmente, por isso que a função dele é levar o cliente à loja”, diz.

4. Itens com baixa venda e alta margem de lucro

São os produtos com valor agregado maior e mais refinados. Têm a função de carregar a lucratividade do negócio e, por isso, devem ter uma exposição mais nobre nas lojas.

“Esses são os produtos que o cliente precisa ver enquanto procura pelo item barato. No exemplo da borracharia, o pneu fica no fundo da loja, enquanto o óleo de motor fica na linha de visão do cliente”, afirma. O consultor ainda recomenda que o empreendedor cuide para focar sua verba de marketing nesses produtos.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

Como a pizza de aliche pode te ensinar sobre vendas
Votos